DOI:https://doi.org/10.3232/GCG.2017.V11.N2.02

ANÁLISIS DE LA EFICIENCIA DE LO SERVICIO DEL SISTEMA ÚNICO DE SALUD EN LOS MUNICIPIOS PARANAENSES

Marta Chaves Vasconcelos, Alaís Daiane Zdziarski, June Alisson Westarb Cruz, Wesley Vieira da Silva, Christian Luiz da Silva

Resumen

El actual escenario de la economía brasileña presenta grandes desafíos a la gestión de los recursos destinados a la salud pública brasileña, siendo esa una de las mayores crisis de su historia, algunos de los factores que influencian tal situación son: aumento de la demanda y ausencia de efectividad y gestión. En este sentido, el presente estudio tiene como objetivo analizar el nivel de eficiencia de lo servicio del Sistema Único de Salud (SUS) en los municipios paranaenses (Brasil) referente al año 2015. Las técnicas utilizadas para medir la eficiencia fueron Data Envelopment Analysis (DEA) y Free Disposal Hull (FDH). La utilización de dos técnicas de análisis puede ayudarle mejor en la planificación y la toma de decisiones gerenciales para la asignación de recursos. Los resultados indican que ocurren diferencias significativas en el nivel de eficiencia de los municipios paranaenses, por ambas técnicas

Vistas: 340
Descargas PDF (Português (Brasil)): 411

 

Referencias


Aires, I. C., & Venuto, A. (1995). O Sistema Único de Saúde (SUS): discussäo sobre sua implantaçäo e especificidades em municípios do estado de Minas Gerais. Rev. adm. pública, 29(4), 93-119.

Arfa, C., Leleu, H., Goaïed, M., & van Mosseveld, C. (2017). Measuring the capacity utilization of public district hospitals in tunisia: using dual data envelopment analysis approach. International Journal of Health Policy and Management, 6(1), 9.

Brazil, C. (1988). Constituição da república federativa do Brasil.

Caballer-Tarazona, M., Moya-Clemente, I., Vivas-Consuelo, D., & Barrachina-Martínez, I. (2010). A model to measure the efficiency of hospital performance. Mathematical and computer modelling, 52(7), 1095-1102.

Carvalho, G. (2013). A saúde pública no Brasil. Estudos avançados, 27(78), 7-26.

Carvalho, A. L. B. D., & Shimizu, H. E. (2016). A institucionalização das práticas de monitoramento e avaliação: desafios e perspectivas na visão dos gestores estaduais do Sistema Único de Saúde (SUS). Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 23-33.

Clement, J. P., Valdmanis, V. G., Bazzoli, G. J., Zhao, M., & Chukmaitov, A. (2008). Is more better? An analysis of hospital outcomes and efficiency with a DEA model of output congestion. Health care management science, 11(1), 67-77.

Costa, C. K. F., Balbinotto Neto, G., & Sampaio, L. M. B. (2014). Eficiência dos estados brasileiros e do Distrito Federal no sistema público de transplante renal: uma análise usando método DEA (Análise Envoltória de Dados) e índice de Malmquist. Cadernos de Saúde Pública, 30(8), 1667-1679.

Datasus. (2017). Departamento de Informática do SUS. Disponível em: Acessado em 25 de Janeiro de 2017.

De Souza, P. C., Scatena, J. H. G., & Kehrig, R. T. (2016). Aplicação da Análise Envoltória de Dados para avaliar a eficiência de hospitais do SUS em Mato Grosso. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 26(1).

Fadel, C. B., Schneider, L., Moimaz, S. A. S., & Saliba, N. A. (2009). Administração pública: o pacto pela saúde como uma nova estratégia de racionalização das ações e serviços em saúde no Brasil. Rev. adm. pública, 43(2), 445-456.

Ferreira, C. M. D. C. F. (2009). Introdução à análise envoltória de dados: teoria, modelos e aplicações. UFV.

Fraga, T. L., Ramos, P., Costa, R. A. D., & Gomes, A. P. (2017). Gestão dos recursos do Sistema Único de Saúde na Bahia: uma análise considerando a influência dos ciclos eleitorais no índice de eficiência municipal. Gestão & Regionalidade, 33(97).

Gomes, E. G., Mello, J. C. C., & Lins, M. P. E. (2004). Redistribuição de inputs e outputs em modelos de análise envoltória de dados com ganhos de soma zero. Pesquisa Operacional, 24(2), 269-284.

Gonçalves, A. C., Noronha, C. P., Lins, M. P., & Almeida, R. M. (2007). Análise Envoltória de Dados na avaliação de hospitais públicos nas capitais brasileiras. Revista de Saúde Pública, 41(3), 427-435.

Hu, H. H., Qi, Q., & Yang, C. H. (2012). Analysis of hospital technical efficiency in China: Effect of health insurance reform. China Economic Review, 23(4), 865-877.

Kaveski, I. D. S., Mazzioni, S., & Hein, N. (2013). A eficiência na utilização de recursos no setor de saúde: uma análise dos municípios do Oeste Catarinense. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 2(2), 53-84.

Marinho, A. (2003). Avaliação da eficiência técnica nos serviços de saúde nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Revista brasileira de economia, 57(3), 515-534.

Mazon, L. M., Mascarenhas, L. P. G., & Dallabrida, V. R. (2015). Eficiência dos gastos públicos em saúde: desafio para municípios de Santa Catarina, Brasil. Saúde e Sociedade, 24(1), 23-33.

Medici, A; et al. (2011). Brasil: a nova agenda Social. Rio de Janeiro: LTC.

Ministério da saúde. (2016). PAB – Programa de Atenção Básica. Coordenação de Processo Editorial/CGDI/SAA/SE. Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br. Acessado em 18 de Junho de 2016.

Nunes, B. P., Flores, T. R., Garcia, L. P., Chiavegatto Filho, A. D. P., Thumé, E., & Facchini, L. A. (2016). Tendência temporal da falta de acesso aos serviços de saúde no Brasil, 1998-2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25(4), 777-787.

Oliveira, R. D. (2012). Análise da sustentabilidade do Assentamento Rural Eldorado II no município de Sidrolândia, MS. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional). Universidade Anhanguera – Uniderp, MS.

Politelo, L., Rigo, V. P., & Hein, N. (2013). Eficiência do atendimento do SUS nas cidades de Santa Catarina. XVI SemeAD. Anais do Seminário em Administração FEA-USP. São Paulo, SP, Brasil.

Politelo, L., & Scarpin, J. E. (2013). Eficiência do atendimento do SUS nas microrregiões do estado de Santa Catarina. RAHIS, 10(1).

Rocha, F., Duarte, J., Gadelha, S. R. B., Oliveira, P. P., & Pereira, L. F. V. N. (2011). Mais recursos ou mais eficiência? Uma análise de oferta e de demanda por serviços de saúde no Brasil. Anais do Encontro Nacional de Economia. Porto de Galinhas, PE, Brasil.. Disponível em: https://www.anpec.org.br. Acessado em 18 de Junho de 2016.

Santos, C. M. D., Carvalho, H. R., & Lírio, V. S. (2008). Eficiência do atendimento do SUS no estado de Minas Gerais. Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais.

Silva, J. L. M. D., & Sampaio, L. M. B. (2009). Eficiência, gestão e meio ambiente na carcinicultura do Rio Grande do Norte. Revista de Economia e Sociologia Rural, 47(4), 883-902.

Silva, R. P., Jesus, E. A. D., Ricardi, L. M., Sousa, M. F. D., & Mendonça, A. V. M. (2016). O pensamento dos gestores municipais sobre a ouvidoria como um potencial instrumento de gestão participativa do SUS. Saúde debate, 40(110), 81-94.

Souto, K. M. B., Sena, A. G. N., de Moura Pereira, V. O., & dos Santos, L. M. (2016). Estado e políticas de equidade em saúde: democracia participativa? Saúde em Debate, 40, 49-62.

Varela, P. Financiamento e controladoria dos municípios paulistas no setor saúde: uma avaliação de eficiência. São Paulo, 2008 (Doctoral dissertation, Tese (Doutorado em Ciências Contábeis). Curso de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo).

Weiller, J. A. B., & Mendes, Á. N. (2016). O Orçamento por Desempenho como ferramenta para gestão e avaliação da política de saúde no município de São Bernardo do Campo, no período 2006 a 2012. Saúde debate, 40(110), 36-52.

Zhang, X., Tone, K., & Lu, Y. (2017). Impact of the Local Public Hospital Reform on the Efficiency of Medium‐Sized Hospitals in Japan: An Improved Slacks‐Based Measure Data Envelopment Analysis Approach. Health Services Research.





Con el mecenazgo de
Universia
Avda. de Cantabria, s/n - 28660, Boadilla del Monte
Madrid, España
EMail: info@sjss.universia.net